Out 15
JORNAIS E REVISTAS DO INTERIOR - PATRONAL NÃO QUER NEGOCIAR!!!!!!!!!!!!!

Companheiros, já prevíamos que este ano iríamos encontrar dificuldades para uma negociação satisfatória dos reajustes salariais.
Agora, o que não esperávamos, é o total descaso que o Sindicato Patronal vem demonstrando, sendo que até o momento sequer enviou o calendário de negociação.
No dia 03 de setembro, a Federação dos Gráficos protocolou a Pauta de Reivindicações junto ao Sindicato Patronal, e esperávamos que dentro do próprio mês de setembro, estaríamos nos reunindo para dar inicio as negociações.
No entanto, até agora nada!!. Caminhamos para a segunda quinzena do mês de outubro, quando já deveríamos estar trabalhando com um reajuste salarial definido, mas o que parece, é que os interesses dos trabalhadores ficaram renegados para segundo plano pelos patrões.
Companheiros vamos nos manter em estado de ALERTA e nos preparar contra este total descaso.
A Federação e os Sindicatos filiados darão inicio as Assembléias na porta dos principais jornais do Estado de São Paulo para mobilizar os trabalhadores para uma possível paralisação visando no mínimo abertura das negociações.

GRÁFICOS DE JORNAIS EM ESTADO DE ALERTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


STF vai julgar troca de aposentadoria neste ano

O STF (Supremo Tribunal Federal) deverá decidir, ainda neste ano, se os aposentados que trabalham e contribuem à Previdência têm o direito de trocar de benefício, segundo a assessoria de imprensa do tribunal. O aumento na aposentadoria pode chegar a 63%.
Se o Supremo for favorável à troca de benefícios (também conhecida como desaposentação), o impacto nos cofres da Previdência será de R$ 50 bilhões, segundo o coordenador-geral de matéria de benefícios da Procuradoria Federal Especializada do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Elvis Gallera Garcia.
"Esse impacto considera os aposentados que trabalham hoje. Mas, se o STF aceitar a desaposentação, mais pessoas vão se aposentar cedo e continuar trabalhando e o impacto será maior", diz, destacando que a projeção usa dados do INSS. Hoje, cerca de 500 mil aposentados trabalham e pagam à Previdência. Fonte: Agora SP

Leia mais 
Supremo vai decidir troca de aposentadoria
Veja como garantir a troca de aposentadoria
Devolução da grana na troca do benefício é parcelada
Justiça de SP dificulta troca de aposentadoria
Troca de aposentadoria pode dar reajuste de 63%
40 mil pedem troca de aposentadoria
Troca pode dobrar o valor de benefício
Troca de benefício pode dar aumento de R$ 1.036
INSS deve aceitar troca por aposentadoria maior
Veja como ganhar mais na troca da aposentadoria
Justiça confirma a troca de aposentadoria

Simulação de aposentadoria pela internet fica mais fácil e segura

O portal da Previdência Social passou a oferecer um novo sistema para facilitar a simulação do cálculo da aposentadoria na internet. O novo programa tem uma apresentação mais didática e clara para a execução deste serviço on line.
Agora, quando o segurado preencher os campos referentes aos dados cadastrais, se o sistema encontrar alguma divergência entre os dados digitados pelo usuário e os dados constantes no Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis), emitirá na hora um aviso sobre a necessidade de regularizar as informações junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Porém, independentemente desta divergência, o sistema permitirá a conclusão da simulação.
Ao final da digitação dos dados, o sistema apresentará um demonstrativo em formato PDF com todas as informações sobre os períodos de contribuição e o detalhamento do cálculo da aposentadoria.
Atualmente, a simulação de aposentadoria não pode ser feita nas Agências da Previdência Social, estando disponível apenas na internet. O trabalhador deve ter em mãos o Número de Identificação do Trabalhador (NIT), o PIS/Pasep ou o Cici (Cartão de Inscrição de Contribuinte Individual), além das datas de início e fim de cada atividade e/ou contribuição. www.previdencia.gov.br


Conheça a política salarial do então governador Serra para São Paulo
  


No dia 17 de novembro de 2009, o então governador de São Paulo, José Serra (PSDB), por intermédio do então Chefe da Casa Civil e presidente da Comissão de Política Salarial, Aloysio Nunes Ferreira, expediu o "Ofício Circular CPS nº 01/2009", com orientações quanto à política salarial para os empregados de empresas estatais.
Trata-se de documento com 21 pontos em que o ex-governador e candidato tucano à Presidência da República José Serra orienta quanto aos procedimentos acerca das negociações dos acordos e convenções coletivas de trabalho para 2010.
As orientações são claramente restritivas quanto a aumento salarial e ainda a garantia de estabilidade até sua completa extinção.
Estas orientações constam do item 3 do Ofício Circular, que diz para "reduzir, de forma progressiva até sua completa extinção, eventual garantia do nível de emprego constante de Norma Coletiva, Carta Compromisso ou documento equivalente, ficando expressamente vedada negociação de nova ou ampliação de já existente".
Ainda no item 3, orienta-se "suprimir, ou alternativamente congelar, as vantagens atribuídas exclusivamente em função do tempo de serviço prestado na entidade, tais como Adicional por Tempo de Serviço, Anuênio, Triênio e outras congêneres".

Aumento real, nem pensar
Na propaganda eleitoral, Serra promete elevar o salário mínimo para R$ 600 e ainda elevar a 10% o reajuste dos aposentados. Mas sua orientação para as estatais do estado de São Paulo quanto aos benefícios "não poderá ultrapassar o impacto correspondente à aplicação, na folha de pagamentos total (salários, benefícios e encargos), do índice de variação do IPC-Fipe acumulado no período aos dozes meses anteriores à vigência do Acordo Coletivo", consta no item 1 do ofício.
No item 2, Serra orienta que seja vedada "a criação de benefícios, por liberalidade, bem como a majoração ou expansão dos previstos na legislação trabalhista, quer em termos quantitativos (em relação a valores ou percentuais previstos em lei), quer no que diz respeito à ampliação das suas hipóteses de incidência, devendo os já existentes ser adequados aos estritos termos e parâmetros estabelecidos na legislação a eles aplicável".
No item 4, a instrução é para admitir abono salarial somente "para compensar a supressão ou redução de vantagens praticadas pelas entidades".

Coerência histórica conservadora
Engana-se quem pensa ou diz que o ex-governador está sendo incoerente com esta postura. Não está. Serra é um fiscalista. Suas votações na Constituinte comprovam isto. Ele votou contra a estabilidade do trabalho, 40 horas semanais e comissão de fábrica.
Serra absteve-se em votações importantes para os assalariados como salário mínimo real, direito de greve e estabilidade do dirigente sindical. E ainda 1/3 de férias e o aviso prévio proporcional. Sua nota final foi 3,75.

O que diz e que fez
No exercício do governo do estado de São Paulo, Serra é um conservador como suas orientações acerca da política salarial atestam.
Desse modo, suas propostas de elevação do mínimo para R$ 600 e aumento de 10% para aposentados são palavras ao vento de quem quer ganhar a batalha eleitoral a qualquer custo. Que o digam os professores e os policiais civis do estado. Fonte: DIAP


Vastex lança impressora serigráfica
  


A fabricante de equipamentos serigráficos Vastex apresenta, no mercado internacional, sua nova impressora serigráfica. O modelo possui mesa de apoio em formato trapezoidal, com medidas de 102 e 69 cm nos lados paralelos e 81 cm de comprimento. A mesa é coberta por uma base de neoprene de 6,4 mm, a qual auxilia na fixação para estampagem de tecidos – sem necessitar do uso de adesivos. Devido ao tamanho, possibilita a impressão de diversos produtos, como camisetas, banners, bandeiras e outros (incluindo peças já costuradas).O modelo também permite realizar a troca da mesa de apoio por outras mesas da Vastex, de diferentes tamanhos, para impressões específicas (como bolsos e mangas). Grupo Sertec


Juro para consumidor é o menor desde 1995, aponta Anefac


Taxa média para pessoa física caiu para 6,74% ao mês em setembro; juros para pessoa jurídica ficam em 3,78% ao mês
As taxas de juros das operações de crédito voltaram a recuar em setembro, segundo levantamento da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (ANEFAC).
Leia também:

• Vendas no varejo têm melhor agosto desde 2000

A taxa média de juros para pessoa física caiu para 6,74% ao mês - a menor desde
1995, quando começa a série histórica da entidade.
Das seis linhas pesquisadas, a única que registrou aumento foi a taxa de juros para cheque especial, que passou de 7,45% em agosto para 7,47% em setembro.
Outras três taxas tiveram queda no período: juros do comércio (de 5,68% para 5,65% ao mês), empréstimo pessoal em bancos (de 4,73% para 4,69%) e em financeiras (de 9,60% para 9,56%).
As taxas de juros de cartão de crédito e de financiamento de automóveis ficaram estáveis no período, em 10,69% e 2,37% ao mês, respectivamente
Os juros para pessoa jurídica fecharam setembro em 3,78% ao mês, menor patamar desde março de 2010, segundo a Anefac. Portal IG


Vendas no varejo têm melhor agosto desde 2000

Segundo IBGE, volume de vendas cresceu 2,0% e receita avançou 1,6% no mês
O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu 2,0% em agosto, em comparação com julho na série com ajuste sazonal. Esse é o melhor resultado para um mês de agosto da série histórica iniciada em 2000 e o melhor dado mensal desde março.
A receita nominal cresceu 1,6%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE. Com esse resultado, o setor completa quatro meses consecutivos de taxas positivas em volume de vendas e de oito meses em receita nominal.
Considerando a série sem ajuste sazonal, o volume de vendas cresceu 10,4% (sobre agosto de 2009), 11,3% no acumulado em 2010 e 10,1% nos últimos 12 meses.
Na mesma base de comparação, a receita nominal obteve crescimento de 12,8%, 14,3% e de 13,1%, respectivamente.
O IBGE notou que todas as 10 atividades apresentaram vendas maiores na passagem de julho para o mês seguinte, como Livros, jornais, revistas e papelaria (3,5%), Móveis e eletrodomésticos (2,9%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,2%) e Combustíveis e lubrificantes (1,2%).
No confronto anual, também houve ampliação generalizada nos volumes de vendas nos segmentos avaliados. Em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, por exemplo, foi verificada alta de 7,2%; Móveis e eletrodomésticos registraram incremento de 16,7%.
"Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo foi o setor responsável pela principal contribuição (34,1%) à taxa global do varejo", destacou o IBGE.
Quanto ao comércio varejista ampliado, que inclui veículos e motos e materia de construção, as vendas tiveram elevação de 2,1% em agosto, depois de incremento de 1,7% em julho. A receita nominal apresentou incremento de 1,7%, seguindo os 2% de julho. Portal IG


Jorge Caetano Fermino
 

written by FTIGESP

Out 15
Faça download: http://www.ftigesp.org.br/request.php?21

written by administrador

Out 14
ECONOMIA I – Quem vier a ser eleito presidente da República no próximo dia 31 terá a mesma tarefa dos seus antecessores: tornar o Brasil um país menos desigual. De acordo com o economista Jorge Abrahão de Castro, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), são tarefas fundamentais: melhorar a educação e ampliar o número de pessoas com acesso à assistência social.


ECONOMIA II – Abrahão aponta que “há um conjunto da população brasileira, ativa economicamente, que não está coberto por nenhum benefício previdenciário”. Segundo ele, apenas 56% das pessoas que trabalham contribuem e têm direito à Previdência Social. “Isso em parte vai ser resolvido com o crescimento econômico, mas vai ser preciso muita política previdenciária e inovações para trazer esse conjunto da população que não está contribuindo para o mundo protegido”.


ECONOMIA III – Além da ampliação do número de pessoas com direito à aposentadoria e proteção em caso de incapacidade para o trabalho, o diretor do Ipea afirmou ainda que o próximo governo também deve se preocupar com a consolidação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e a expansão e melhoria dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) especialmente para ampliar atendimento a crianças e idosos. Apenas 33% dos municípios prestam atendimento por meio dos Creas (1.854 unidades em funcionamento, segundo dado do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS)


ECONOMIA IV – Jorge Abrahão insiste que para “quebrar o ciclo da pobreza, ampliar a renda e diminuir a desigualdade” é preciso melhorar a qualidade do ensino ampliar o acesso e a permanência das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos na escola. Atualmente, só o acesso ao ensino fundamental (1º ao 9º ano, dos 6 aos 14 anos) está universalizado (98%).


ECONOMIA V – A geração de oportunidades depende também do acesso ao crédito. Jorge Abrahão acredita que o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) devam melhorar suas linhas de financiamento para que a população mais pobre possa pegar mais empréstimos e desenvolver os micro negócios. “No Brasil as coisas avançam quando as instituições estão bem estruturadas”.
ECONOMIA VI – Um exemplo disso seria, na opinião do economista, o Programa Bolsa Família sob a responsabilidade do MDS que organizou um cadastro que identifica “onde estão os pobres” e cria meios para as famílias receberem diretamente os recursos. “Sem ter técnica e estrutura não funciona”, afirmou. Fonte: Agência Brasil


Jornal do grupo NYT passará a cobrar por conteúdo online  

O jornal Telegram and Gazette, do grupo New York Times, começou a cobrar pelo conteúdo de seu site em 16 de agosto. Assinantes da versão impressa terão acesso gratuito a todo o conteúdo online, mas os que não são assinantes só podem acessar dez matérias por mês gratuitamente. Caso tenham interesse em visualizar mais matérias, deverão pagar uma mensalidade de US$ 14,95 ou adquirir um passe diário. Tecnologia Gráfica


Contribuição das mulheres para a renda das famílias sobe para 40,9%

SÃO PAULO - A contribuição das mulheres para a renda das famílias cresceu 10,8 pontos percentuais em 17 anos, segundo revelam dados divulgados nesta quarta-feira (13) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).
De acordo com o levantamento, em 1992, da renda das famílias, 30,1% eram a renda das mulheres, percentual que passou para 40,9% no ano passado.
Considerando a contribuição das mulheres casadas, o aumento foi ainda mais expressivo, de 26,7 p.p., saindo de 39,1% delas que contribuíam para a renda em 1992 para 65,8% no ano passado.

Outros afazeres
Ainda segundo o estudo, entre 1992 e 2009, o percentual de famílias com casal chefiadas por mulheres passou de 0,8% para 9,4%, alcançando 4,3 milhões de famílias.
Apesar disso, as mulheres continuam sendo as principais responsáveis pelos afazeres domésticos, sendo que, entre as ocupadas, 89,9% se dedicam aos cuidados com o lar, enquanto este percentual cai para 49,6% entre os homens.
A média de horas dedicadas para tais afazeres por homens e mulheres é de, respectivamente, 9,5 e 21,8 horas.
“A família brasileira está mudando e a mulher é uma das grandes responsáveis por isso. Hoje, ela está assumindo novos papéis sociais, como o de provedora, dada a sua participação no mercado de trabalho, mas ainda mantém os papéis tradicionais, como o de responsável pelas tarefas domésticas e cuidados com os membros dependentes”, diz o estudo. Fonte: Infomoney


Previdência: quem não sacar benefício em até 60 dias terá dinheiro bloqueado

SÃO PAULO - Aposentados, pensionistas e demais beneficiários que recebem por meio de cartão magnético e não sacam o benefício em até 60 dias após a data prevista para o pagamento terão o dinheiro devolvido pelo banco ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).
A medida, criada para evitar o pagamento indevido e qualquer tentativa de fraude, estabelece que a instituição bancária devolva o valor ao INSS que, por sua vez, bloqueia o pagamento até que o beneficiário vá até uma APS (Agência da Previdência Social) para regularizar o pagamento.
O bloqueio é efetuado para evitar o pagamento indevido e qualquer tentativa de fraude, como o saque do valor por terceiro, à revelia do beneficiário.
Para desbloqueá-lo, o segurado terá que comparecer à APS responsável pelo seu benefício e apresentar documento de identificação com foto, como carteira de identidade ou carteira de motorista.

Setembro
Na folha de setembro, encerrada na última quinta-feira (7), 8.825 benefícios estavam suspensos porque o beneficiário não sacou no prazo de 60 dias.
Na mesma folha, 14.981.194 beneficiários receberam por cartão magnético, entre os quais 9.955.226 segurados da área urbana e, 5.025.968, da área rural.

Segurança
De acordo com a Previdência, o segurado que recebe o benefício com cartão magnético possui um mecanismo de segurança eficiente em mãos, no entanto, deve se manter atento.
Em hipótese alguma o beneficiário deve fornecer a senha para terceiros. Como nos cartões da rede bancária, a senha não deve ter sequências previsíveis, tais como data de nascimento, número de telefone ou dígitos ligados diretamente ao portador.
O INSS recomenda que, em caso de dúvida no momento do saque no terminal de autoatendimento, o segurado procure um funcionário do banco e nunca peça ajuda de outras pessoas estranhas à instituição bancária. Fonte: Infomoney


O que é mais importante experiência ou preparação?

Ao questionar uma candidata a estágio sobre o que ela trazia de bagagem de um intercâmbio cultural, Viviane Ovanessian, gerente de projetos da DMRH, ouviu um categórico “duas malas”. Naquele momento, ficou claro para a consultora que o mais importante para uma carreira não são as experiências que se têm ou o preparo acadêmico, mas sim, o que se faz com essas duas ferramentas. “É primordial refletir sobre o que determinada vivência ou estudo agrega na carreira. Isso traz amadurecimento”, comenta Viviane.
“Hoje, os estudantes que se candidatam a vagas de trainee, por exemplo, são muito bem preparados. Eles pensam na aplicabilidade do que aprendem na faculdade e com isso conseguem entender muito facilmente como funciona o mercado de trabalho”, explica.
Experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa.

Maturidade
A psicóloga acrescenta que para aqueles que não estudam em faculdade de primeira linha ou que tiveram de trabalhar desde cedo, a experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa.
Rodrigo Silveira Campos, de 22 anos, é formado em publicidade, fez intercâmbio de seis meses nos Estados Unidos, mas nunca trabalhou. “Fiz um estágio quando estava na faculdade, mas optei por me dedicar mais aos estudos. Agora, tenho dificuldade de encontrar trabalho por falta de experiência profissional”, conta. A opção, diz, será candidatar-se às vagas de trainee ou buscar posições em companhias de menor porte.

Perfil
Apesar de tanto experiência quanto aprendizado acadêmico serem fundamentais para a um bom profissional, cada carreira traça o perfil do profissional mais procurado. Em economia, por exemplo, a formação continuada, ou seja, pós-graduação, mestrado e doutorado são essenciais para quem quer se destacar, avalia Flávio de Rezende, diretor do Departamento de Pesquisa do Corecon-SP (Conselho Regional de Economia de São Paulo).“Em nossa carreira é necessário um perpétuo desenvolvimento, porque as mudanças do cenário econômico precisam ser acompanhadas de perto”, afirma.
Já para profissionais formados em Administração, ter um título de MBA (Master in Business Administration) chama a atenção no currículo, mas o documento de nada adiantará se a experiência profissional não for sólida. “Para que ele até consiga aproveitar esse MBA, ter algumas vivências em gestão são fundamentais. Do contrário, ele estará perdendo o tempo”, diz Viviane. Fonte: Portal IG

Jorge Caetano Fermino

written by FTIGESP

Out 13
INFORMATIVO - JORNAIS E REVISTAS DO INTERIOR
PATRONAL NÃO QUER NEGOCIAR!!!!!!!!!!!!!
Companheiros, já prevíamos que este ano iríamos encontrar dificuldades para uma negociação satisfatória dos reajustes salariais.
Agora, o que não esperávamos, é o total descaso que o Sindicato Patronal vem demonstrando, sendo que até o momento sequer enviou o calendário de negociação.
No dia 03 de setembro, a Federação dos Gráficos protocolou a Pauta de Reivindicações junto ao Sindicato Patronal, e esperávamos que dentro do próprio mês de setembro, estaríamos nos reunindo para dar inicio as negociações.
No entanto, até agora nada!!. Caminhamos para a segunda quinzena do mês de outubro, quando já deveríamos estar trabalhando com um reajuste salarial definido, mas o que parece, é que os interesses dos trabalhadores ficaram renegados para segundo plano pelos patrões.
Companheiros vamos nos manter em estado de ALERTA e nos preparar contra este total descaso.
A Federação e os Sindicatos filiados darão inicio as Assembléias na porta dos principais jornais do Estado de São Paulo para mobilizar os trabalhadores para uma possível paralisação visando no mínimo abertura das negociações.

GRÁFICOS DE JORNAIS EM ESTADO DE ALERTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

written by FTIGESP

Out 13
Estadão demite quem defende voto do pobre

A psicanalista Maria Rita Kehl, em entrevista ao competente jornalista Bob Fernandes, do Terra Magazine, conta ter sido demitida pelo O Estado de S. Paulo depois de escrever, sábado (2), artigo sobre a “desqualificação” dos votos dos pobres. O texto, intitulado “Dois pesos…”, gerou grande repercussão.
Quinta (7), ela falou ao Terra Magazine sobre sua demissão:
- Fui demitida pelo O Estado de S. Paulo pelo que consideraram “delito” de opinião (…) Como é que um jornal que anuncia estar sob censura, pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua?
O fato mostra, mais uma vez, que não existe liberdade nos “jornalões”. Com eles, é assim: ou reproduz a voz patronal do dono ou vai pra rua.
E aí, Fenaj? Até o início da noite de ontem (quinta), não havia uma única linha sobre o tema no site da Federação dos Jornalistas (Fenaj) e também na página da outrora combativa ABI. Fonte: Agencia Sindical


Brasil terá 200 novas revistas até 2020
  


De acordo com o presidente executivo da Abril Mídia, Jairo Mendes Leal, serão lançadas no mínimo 200 novas revistas no Brasil até 2020, uma média de 10 lançamentos por ano. A declaração foi feita no Fórum Aner, realizado em São Paulo em meados de setembro. O crescimento deve ser impulsionado pela classe C, que atualmente representa 49% da população do País. Em 2010, foram lançados 13 títulos e, no primeiro semestre, o setor de revistas cresceu 4,3%, com destaque para as publicações voltadas para o público adolescente, que cresceram 55%. Técnologia Gráfica


AlphaGraphics Barra aumenta produtividade em 80%  

A AlphaGraphics Barra, localizada na Barra da Tijuca (RJ), anuncia o aumento de 80% em sua produtividade, resultado da aquisição das máquinas Heidelberg GTO 52/2 e Xerox DC 252. Com investimento de R$ 420 mil, a compra dos equipamentos trouxe à empresa maior velocidade e flexibilidade no processo de impressão, que agora conta com o sistema híbrido: digital e offset. De acordo com o diretor da AlphaGraphics Barra, Fábio Rondinelli, o baixo custo de impressão offset associado à flexibilidade da impressão digital torna o mix da solução muito viável nas campanhas com dados variáveis e agora a empresa poderá entregar pequenas, médias e grandes tiragens sob demanda. Publish Lupi atende pleito das


Centrais Sindicais sobre ponto eletrônico

O ministro Carlos Lupi (Trabalho) recebeu em Brasília, na terça-feira (5), representantes das Centrais Sindicais, que entregaram ao ministro uma proposta para que a portaria 1.510, que estabelece adequações ao ponto eletrônico, reconheça os acordos coletivos firmados entre Sindicatos e empresas referentes à jornada de trabalho. Participaram do encontro dirigentes da Força, CUT, CTB, CGT, NCST e UGT.
“Vamos analisar com nosso jurídico um novo instrumento para chegarmos a um senso comum, pois vai depender do setor e do porte da empresa. Acho que até o final do mês teremos esse levantamento”, ressaltou o ministro. As Centrais propuseram normas que assegurem cláusulas negociadas em acordos coletivos, como, por exemplo, tolerância com horário de trabalho.
Portaria - A medida que disciplina o ponto eletrônico vai permitir que o trabalhador tenha o controle exato da sua jornada de trabalho. No encontro, Lupi explicou aos sindicalistas que para que os acordos coletivos celebrados entre Sindicato e empresas sejam válidos, será necessária a elaboração de um outro instrumento que prestigie tais avanços. www.mte.gov.br


Aposentado de 1988 a 2003 ganha nova revisão

Os segurados que se aposentaram ou tiveram algum benefício do INSS concedido entre 1988 e 2003 e ganhavam mais do que um salário mínimo (hoje, R$ 510) podem conseguir, na Justiça, uma nova revisão.
Uma decisão do Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, de 26 de agosto, concedeu a um segurado um aumento de 4% na sua aposentadoria e os atrasados (diferenças não pagas pelo INSS nos últimos cinco anos). A revisão pode dar um ganho mensal de até R$ 134,31.
O aumento concedido pelo Judiciário deve-se ao fato de o governo ter reajustado, em junho de 1999 e em maio de 2004, o teto previdenciário com um índice superior ao dos demais benefícios. Fonte: Agora SP


Confira se você está na malha fina do IR

O contribuinte que entregou a declaração do Imposto de Renda deste ano no início do prazo e não enviou uma retificadora, mas ainda não recebeu a restituição, pode ter caído na malha fina.
Muitos contribuintes que enviaram a declaração no último dia do prazo (30 de abril) foram incluídos no quinto lote de restituições, que foi liberado na semana passada e será pago na próxima sexta-feira.
A ordem da fila de pagamentos das restituições é formada principalmente com base na data da entrega da declaração. Quanto antes o contribuinte envia o documento à Receita, mais cedo recebe a restituição. Quem envia uma retificadora, no entanto, vai para o final da fila. Além disso, declarações entregues em formulários impressos são sempre as últimas a serem processadas. Fonte: Agora SP

Jorge Caetano Fermino

written by FTIGESP

Ir para página início  604 605 606 607 608 609 610 611 612 613  última