Out 15
Faça download: http://www.ftigesp.org.br/request.php?21

written by administrador

Out 14
ECONOMIA I – Quem vier a ser eleito presidente da República no próximo dia 31 terá a mesma tarefa dos seus antecessores: tornar o Brasil um país menos desigual. De acordo com o economista Jorge Abrahão de Castro, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), são tarefas fundamentais: melhorar a educação e ampliar o número de pessoas com acesso à assistência social.


ECONOMIA II – Abrahão aponta que “há um conjunto da população brasileira, ativa economicamente, que não está coberto por nenhum benefício previdenciário”. Segundo ele, apenas 56% das pessoas que trabalham contribuem e têm direito à Previdência Social. “Isso em parte vai ser resolvido com o crescimento econômico, mas vai ser preciso muita política previdenciária e inovações para trazer esse conjunto da população que não está contribuindo para o mundo protegido”.


ECONOMIA III – Além da ampliação do número de pessoas com direito à aposentadoria e proteção em caso de incapacidade para o trabalho, o diretor do Ipea afirmou ainda que o próximo governo também deve se preocupar com a consolidação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e a expansão e melhoria dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) especialmente para ampliar atendimento a crianças e idosos. Apenas 33% dos municípios prestam atendimento por meio dos Creas (1.854 unidades em funcionamento, segundo dado do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS)


ECONOMIA IV – Jorge Abrahão insiste que para “quebrar o ciclo da pobreza, ampliar a renda e diminuir a desigualdade” é preciso melhorar a qualidade do ensino ampliar o acesso e a permanência das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos na escola. Atualmente, só o acesso ao ensino fundamental (1º ao 9º ano, dos 6 aos 14 anos) está universalizado (98%).


ECONOMIA V – A geração de oportunidades depende também do acesso ao crédito. Jorge Abrahão acredita que o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) devam melhorar suas linhas de financiamento para que a população mais pobre possa pegar mais empréstimos e desenvolver os micro negócios. “No Brasil as coisas avançam quando as instituições estão bem estruturadas”.
ECONOMIA VI – Um exemplo disso seria, na opinião do economista, o Programa Bolsa Família sob a responsabilidade do MDS que organizou um cadastro que identifica “onde estão os pobres” e cria meios para as famílias receberem diretamente os recursos. “Sem ter técnica e estrutura não funciona”, afirmou. Fonte: Agência Brasil


Jornal do grupo NYT passará a cobrar por conteúdo online  

O jornal Telegram and Gazette, do grupo New York Times, começou a cobrar pelo conteúdo de seu site em 16 de agosto. Assinantes da versão impressa terão acesso gratuito a todo o conteúdo online, mas os que não são assinantes só podem acessar dez matérias por mês gratuitamente. Caso tenham interesse em visualizar mais matérias, deverão pagar uma mensalidade de US$ 14,95 ou adquirir um passe diário. Tecnologia Gráfica


Contribuição das mulheres para a renda das famílias sobe para 40,9%

SÃO PAULO - A contribuição das mulheres para a renda das famílias cresceu 10,8 pontos percentuais em 17 anos, segundo revelam dados divulgados nesta quarta-feira (13) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).
De acordo com o levantamento, em 1992, da renda das famílias, 30,1% eram a renda das mulheres, percentual que passou para 40,9% no ano passado.
Considerando a contribuição das mulheres casadas, o aumento foi ainda mais expressivo, de 26,7 p.p., saindo de 39,1% delas que contribuíam para a renda em 1992 para 65,8% no ano passado.

Outros afazeres
Ainda segundo o estudo, entre 1992 e 2009, o percentual de famílias com casal chefiadas por mulheres passou de 0,8% para 9,4%, alcançando 4,3 milhões de famílias.
Apesar disso, as mulheres continuam sendo as principais responsáveis pelos afazeres domésticos, sendo que, entre as ocupadas, 89,9% se dedicam aos cuidados com o lar, enquanto este percentual cai para 49,6% entre os homens.
A média de horas dedicadas para tais afazeres por homens e mulheres é de, respectivamente, 9,5 e 21,8 horas.
“A família brasileira está mudando e a mulher é uma das grandes responsáveis por isso. Hoje, ela está assumindo novos papéis sociais, como o de provedora, dada a sua participação no mercado de trabalho, mas ainda mantém os papéis tradicionais, como o de responsável pelas tarefas domésticas e cuidados com os membros dependentes”, diz o estudo. Fonte: Infomoney


Previdência: quem não sacar benefício em até 60 dias terá dinheiro bloqueado

SÃO PAULO - Aposentados, pensionistas e demais beneficiários que recebem por meio de cartão magnético e não sacam o benefício em até 60 dias após a data prevista para o pagamento terão o dinheiro devolvido pelo banco ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).
A medida, criada para evitar o pagamento indevido e qualquer tentativa de fraude, estabelece que a instituição bancária devolva o valor ao INSS que, por sua vez, bloqueia o pagamento até que o beneficiário vá até uma APS (Agência da Previdência Social) para regularizar o pagamento.
O bloqueio é efetuado para evitar o pagamento indevido e qualquer tentativa de fraude, como o saque do valor por terceiro, à revelia do beneficiário.
Para desbloqueá-lo, o segurado terá que comparecer à APS responsável pelo seu benefício e apresentar documento de identificação com foto, como carteira de identidade ou carteira de motorista.

Setembro
Na folha de setembro, encerrada na última quinta-feira (7), 8.825 benefícios estavam suspensos porque o beneficiário não sacou no prazo de 60 dias.
Na mesma folha, 14.981.194 beneficiários receberam por cartão magnético, entre os quais 9.955.226 segurados da área urbana e, 5.025.968, da área rural.

Segurança
De acordo com a Previdência, o segurado que recebe o benefício com cartão magnético possui um mecanismo de segurança eficiente em mãos, no entanto, deve se manter atento.
Em hipótese alguma o beneficiário deve fornecer a senha para terceiros. Como nos cartões da rede bancária, a senha não deve ter sequências previsíveis, tais como data de nascimento, número de telefone ou dígitos ligados diretamente ao portador.
O INSS recomenda que, em caso de dúvida no momento do saque no terminal de autoatendimento, o segurado procure um funcionário do banco e nunca peça ajuda de outras pessoas estranhas à instituição bancária. Fonte: Infomoney


O que é mais importante experiência ou preparação?

Ao questionar uma candidata a estágio sobre o que ela trazia de bagagem de um intercâmbio cultural, Viviane Ovanessian, gerente de projetos da DMRH, ouviu um categórico “duas malas”. Naquele momento, ficou claro para a consultora que o mais importante para uma carreira não são as experiências que se têm ou o preparo acadêmico, mas sim, o que se faz com essas duas ferramentas. “É primordial refletir sobre o que determinada vivência ou estudo agrega na carreira. Isso traz amadurecimento”, comenta Viviane.
“Hoje, os estudantes que se candidatam a vagas de trainee, por exemplo, são muito bem preparados. Eles pensam na aplicabilidade do que aprendem na faculdade e com isso conseguem entender muito facilmente como funciona o mercado de trabalho”, explica.
Experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa.

Maturidade
A psicóloga acrescenta que para aqueles que não estudam em faculdade de primeira linha ou que tiveram de trabalhar desde cedo, a experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa.
Rodrigo Silveira Campos, de 22 anos, é formado em publicidade, fez intercâmbio de seis meses nos Estados Unidos, mas nunca trabalhou. “Fiz um estágio quando estava na faculdade, mas optei por me dedicar mais aos estudos. Agora, tenho dificuldade de encontrar trabalho por falta de experiência profissional”, conta. A opção, diz, será candidatar-se às vagas de trainee ou buscar posições em companhias de menor porte.

Perfil
Apesar de tanto experiência quanto aprendizado acadêmico serem fundamentais para a um bom profissional, cada carreira traça o perfil do profissional mais procurado. Em economia, por exemplo, a formação continuada, ou seja, pós-graduação, mestrado e doutorado são essenciais para quem quer se destacar, avalia Flávio de Rezende, diretor do Departamento de Pesquisa do Corecon-SP (Conselho Regional de Economia de São Paulo).“Em nossa carreira é necessário um perpétuo desenvolvimento, porque as mudanças do cenário econômico precisam ser acompanhadas de perto”, afirma.
Já para profissionais formados em Administração, ter um título de MBA (Master in Business Administration) chama a atenção no currículo, mas o documento de nada adiantará se a experiência profissional não for sólida. “Para que ele até consiga aproveitar esse MBA, ter algumas vivências em gestão são fundamentais. Do contrário, ele estará perdendo o tempo”, diz Viviane. Fonte: Portal IG

Jorge Caetano Fermino

written by FTIGESP

Out 13
INFORMATIVO - JORNAIS E REVISTAS DO INTERIOR
PATRONAL NÃO QUER NEGOCIAR!!!!!!!!!!!!!
Companheiros, já prevíamos que este ano iríamos encontrar dificuldades para uma negociação satisfatória dos reajustes salariais.
Agora, o que não esperávamos, é o total descaso que o Sindicato Patronal vem demonstrando, sendo que até o momento sequer enviou o calendário de negociação.
No dia 03 de setembro, a Federação dos Gráficos protocolou a Pauta de Reivindicações junto ao Sindicato Patronal, e esperávamos que dentro do próprio mês de setembro, estaríamos nos reunindo para dar inicio as negociações.
No entanto, até agora nada!!. Caminhamos para a segunda quinzena do mês de outubro, quando já deveríamos estar trabalhando com um reajuste salarial definido, mas o que parece, é que os interesses dos trabalhadores ficaram renegados para segundo plano pelos patrões.
Companheiros vamos nos manter em estado de ALERTA e nos preparar contra este total descaso.
A Federação e os Sindicatos filiados darão inicio as Assembléias na porta dos principais jornais do Estado de São Paulo para mobilizar os trabalhadores para uma possível paralisação visando no mínimo abertura das negociações.

GRÁFICOS DE JORNAIS EM ESTADO DE ALERTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

written by FTIGESP

Out 13
Estadão demite quem defende voto do pobre

A psicanalista Maria Rita Kehl, em entrevista ao competente jornalista Bob Fernandes, do Terra Magazine, conta ter sido demitida pelo O Estado de S. Paulo depois de escrever, sábado (2), artigo sobre a “desqualificação” dos votos dos pobres. O texto, intitulado “Dois pesos…”, gerou grande repercussão.
Quinta (7), ela falou ao Terra Magazine sobre sua demissão:
- Fui demitida pelo O Estado de S. Paulo pelo que consideraram “delito” de opinião (…) Como é que um jornal que anuncia estar sob censura, pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua?
O fato mostra, mais uma vez, que não existe liberdade nos “jornalões”. Com eles, é assim: ou reproduz a voz patronal do dono ou vai pra rua.
E aí, Fenaj? Até o início da noite de ontem (quinta), não havia uma única linha sobre o tema no site da Federação dos Jornalistas (Fenaj) e também na página da outrora combativa ABI. Fonte: Agencia Sindical


Brasil terá 200 novas revistas até 2020
  


De acordo com o presidente executivo da Abril Mídia, Jairo Mendes Leal, serão lançadas no mínimo 200 novas revistas no Brasil até 2020, uma média de 10 lançamentos por ano. A declaração foi feita no Fórum Aner, realizado em São Paulo em meados de setembro. O crescimento deve ser impulsionado pela classe C, que atualmente representa 49% da população do País. Em 2010, foram lançados 13 títulos e, no primeiro semestre, o setor de revistas cresceu 4,3%, com destaque para as publicações voltadas para o público adolescente, que cresceram 55%. Técnologia Gráfica


AlphaGraphics Barra aumenta produtividade em 80%  

A AlphaGraphics Barra, localizada na Barra da Tijuca (RJ), anuncia o aumento de 80% em sua produtividade, resultado da aquisição das máquinas Heidelberg GTO 52/2 e Xerox DC 252. Com investimento de R$ 420 mil, a compra dos equipamentos trouxe à empresa maior velocidade e flexibilidade no processo de impressão, que agora conta com o sistema híbrido: digital e offset. De acordo com o diretor da AlphaGraphics Barra, Fábio Rondinelli, o baixo custo de impressão offset associado à flexibilidade da impressão digital torna o mix da solução muito viável nas campanhas com dados variáveis e agora a empresa poderá entregar pequenas, médias e grandes tiragens sob demanda. Publish Lupi atende pleito das


Centrais Sindicais sobre ponto eletrônico

O ministro Carlos Lupi (Trabalho) recebeu em Brasília, na terça-feira (5), representantes das Centrais Sindicais, que entregaram ao ministro uma proposta para que a portaria 1.510, que estabelece adequações ao ponto eletrônico, reconheça os acordos coletivos firmados entre Sindicatos e empresas referentes à jornada de trabalho. Participaram do encontro dirigentes da Força, CUT, CTB, CGT, NCST e UGT.
“Vamos analisar com nosso jurídico um novo instrumento para chegarmos a um senso comum, pois vai depender do setor e do porte da empresa. Acho que até o final do mês teremos esse levantamento”, ressaltou o ministro. As Centrais propuseram normas que assegurem cláusulas negociadas em acordos coletivos, como, por exemplo, tolerância com horário de trabalho.
Portaria - A medida que disciplina o ponto eletrônico vai permitir que o trabalhador tenha o controle exato da sua jornada de trabalho. No encontro, Lupi explicou aos sindicalistas que para que os acordos coletivos celebrados entre Sindicato e empresas sejam válidos, será necessária a elaboração de um outro instrumento que prestigie tais avanços. www.mte.gov.br


Aposentado de 1988 a 2003 ganha nova revisão

Os segurados que se aposentaram ou tiveram algum benefício do INSS concedido entre 1988 e 2003 e ganhavam mais do que um salário mínimo (hoje, R$ 510) podem conseguir, na Justiça, uma nova revisão.
Uma decisão do Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, de 26 de agosto, concedeu a um segurado um aumento de 4% na sua aposentadoria e os atrasados (diferenças não pagas pelo INSS nos últimos cinco anos). A revisão pode dar um ganho mensal de até R$ 134,31.
O aumento concedido pelo Judiciário deve-se ao fato de o governo ter reajustado, em junho de 1999 e em maio de 2004, o teto previdenciário com um índice superior ao dos demais benefícios. Fonte: Agora SP


Confira se você está na malha fina do IR

O contribuinte que entregou a declaração do Imposto de Renda deste ano no início do prazo e não enviou uma retificadora, mas ainda não recebeu a restituição, pode ter caído na malha fina.
Muitos contribuintes que enviaram a declaração no último dia do prazo (30 de abril) foram incluídos no quinto lote de restituições, que foi liberado na semana passada e será pago na próxima sexta-feira.
A ordem da fila de pagamentos das restituições é formada principalmente com base na data da entrega da declaração. Quanto antes o contribuinte envia o documento à Receita, mais cedo recebe a restituição. Quem envia uma retificadora, no entanto, vai para o final da fila. Além disso, declarações entregues em formulários impressos são sempre as últimas a serem processadas. Fonte: Agora SP

Jorge Caetano Fermino

written by FTIGESP

Out 08
INPC sobe 0,54% em setembro, aponta IBGE

Rio de Janeiro - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para a população com rendimento até seis salários mínimos, subiu 0,54% em setembro, depois de ter caído 0,07% um mês antes. Com o resultado, divulgado hoje (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice acumula no ano alta de 3,80%, e de 4,68% nos 12 meses encerrados em setembro.
A principal pressão partiu dos produtos alimentícios, que registraram deflação de 0,48% em agosto e tiveram inflação de 1,20% em setembro. Já os produtos não alimentícios intensificaram a alta, passando de 0,10% para 0,26% no período.
Regionalmente, o levantamento aponta que o maior índice ficou com Brasília (1,04%), onde os alimentos aumentaram 2,31% e a energia elétrica ficou 4,95% mais cara. Por outro lado, a menor taxa foi observada em Porto Alegre (0,23%), pressionada também pela elevação nos alimentos (0,47%). Fonte: Agencia Brasil


Atrasou o pagamento do seguro? Saiba quais são as consequências

SÃO PAULO – Quem atrasa o pagamento de uma dívida com o comércio, por exemplo, pode ter o nome incluído em um cadastro de restrição de crédito e ficar impedido de comprar a prazo. Mas quais são as consequências para quem atrasa o pagamento de uma apólice de seguro?
De acordo com o advogado, presidente da Comissão de Direito e Relação de Consumo da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), José Eduardo Tavolieri, o atraso no pagamento do prêmio (valor pago pelo seguro) pode fazer com que a seguradora cancele a apólice, deixando o consumidor sem proteção, em caso de sinistro.
Contudo, explica ele, o fim da prestação de serviço por conta de atraso no pagamento deve estar previsto no contrato, incluindo o número de dias a ser considerado para que a seguradora tome tal atitude.
Outras consequências
O atraso no pagamento da apólice pode ainda fazer com que a seguradora ajuíze ação de cobrança de prêmio contra o cliente, explica o advogado associado do Gaiofato Advogados Associados, Márcio Holanda Teixeira.
Por outro lado, completa Teixeira, a companhia de seguros pode tomar medidas menos radicais do que as citadas anteriormente, como suspender a ação do prêmio, enquanto o segurado não quitar os débitos existentes.
STJ
No que diz respeito a esse assunto, no início de outubro, ao julgar um caso de um consumidor do Paraná, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu que o simples atraso no pagamento do seguro não autoriza a seguradora a anular automaticamente o contrato.
De acordo com a decisão, antes de cancelar a apólice, a companhia de seguros deve notificar o segurado da suspensão da proteção.
Para Teixeira, a decisão, válida para este caso específico, pode se tornar tendência no julgamento de ações semelhantes. Fonte: Infomoney

Estudo do Ipea aponta diminuição acelerada da pobreza no Brasil  

A pobreza no Brasil vem diminuindo em ritmo acelerado desde 2003 e essa queda acontece de maneira mais acentuada entre os mais pobres. É o que aponta estudo divulgado, na última terça-feira (5), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
O levantamento dá continuidade à série de análises sobre a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2009 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Pnad/IBGE).
A análise considera três linhas de pobreza diferentes - com renda abaixo de meio salário mínimo, abaixo de R$ 100 mensais (corrigidos a partir da base de 2004, com a criação do Bolsa Família) e R$ 50 mensais (também corrigidos a partir de 2004).
O índice daqueles com renda inferior ao equivalente a R$ 50 (de 2004) caiu de 10,3%, em 2001, para 4,8% em 2009 - uma redução de 53,4%.
A proporção dos que ganham menos de R$ 100 (em 2004) caiu de 26,1%, em 2001, para 13,7%, em 2009, numa queda de 48%. Na faixa dos que ganham menos de meio salário mínimo, a proporção caiu de 45,4% em 2001 para 29,2% em 2009 - queda de 36%.
"Isso é consequência de uma distribuição de renda cada vez mais igualitária", aponta o Ipea.
Renda do trabalho
Segundo a análise do Ipea, a renda do trabalho tem um peso muito maior sobre a queda da desigualdade do que outras fontes, como renda previdenciária ou programas de transferência de renda, o que explica a razão pela qual o ritmo da queda na desigualdade caiu entre 2008 e 2009 mesmo com as ações do governo para mitigar os impactos da crise financeira global.
O estudo aponta que a desigualdade no país continua caindo em 2009, mas em um ritmo um pouco menor que nos anos anteriores.
Enquanto de 2005 a 2008 o Coeficiente de Gini (que mede a desigualdade) caiu em média 0,72 ponto ao ano, de 2008 a 2009 a queda foi de apenas 0,53 pontos (numa escala de zero a 100).
O Coeficiente de Gini tem variação entre 0 (menos desigual) e 1 (mais desigual) e mede a relação entre a concentração de renda entre os mais ricos e os mais pobres.
Essa diminuição do ritmo, no entanto, segundo o Ipea, foi devida à crise mundial e não é preocupante nem indica o início de uma tendência de menor redução da desigualdade.
Entre 2008 e 2009, houve uma queda de 32% para 29,2% na proporção daqueles com renda inferior a meio salário mínimo, de 14,6% para 13,7% na proporção das pessoas com renda menor que o equivalente a R$ 100 em 2004 e de 4,9% para 4,8% na parcela com renda inferior a R$ 50 de 2004. (Fonte: PT)


Nova revisão do INSS dá atrasado de até R$ 16 mil

Os segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que tiveram pensão por morte, aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença concedidos entre 8 de outubro de 2000 e 17 de agosto de 2009 podem conseguir, no posto, um aumento médio mensal de até R$ 240. Os atrasados --diferenças referentes aos últimos cinco anos-- podem chegar a R$ 16.116,74.
O aumento é garantido apenas para quem pagou, a partir de julho de 1994, menos de 144 meses (12 anos) de contribuição à Previdência Social. Entre 2000 e 2009, o INSS deveria ter descartado as 20% menores contribuições desses segurados. Como não o fez, o valor do benefício ficou menor que o devido.
Os cálculos consideram um reajuste médio de 8%, segundo o consultor previdenciário Marco Anflor, do site Assessor Previdenciário. De acordo com Anflor, os valores podem variar para cima ou para baixo, dependendo das contribuições de cada segurado. Fonte: Agora SP


Receita libera hoje consulta a R$ 2,4 bilhões em restituições

A Receita Federal abre hoje, a partir das 9h, a consulta ao quinto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física referentes aos anos de 2010, 2009 e 2008. Para saber se terá a restituição liberada, o contribuinte deve consultar a página da Receita na internet ou ligar para 146. É necessário informar o número do CPF.
Ao todo, a Receita vai liberar R$ 2,482 bilhões em restituições dos três anos, para 2.774.761 contribuintes. Para o exercício de 2010, serão creditadas restituições para um total de 2.712.889 contribuintes com imposto a restituir, totalizando um montante de R$ 2,399 bilhões. O montante é acrescido da taxa Selic de 5,14% referentes aos meses de maio a outubro. Os valores serão creditados na conta informada pelo contribuinte no ato da declaração no próximo dia 15.
Estão contemplados neste lote de restituição contribuintes idosos que não possuem pendências nas respectivas declarações. Os pagamentos dos demais contribuintes foram priorizados de acordo com a data da última declaração entregue do respectivo exercício.
Caso a restituição do imposto não aconteça mediante o depósito em conta indicada pelo contribuinte, os valores estarão disponíveis no Banco do Brasil (BB). O contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento BB 4004-0001 (capitais - clientes do Banco do Brasil), 0800-729-0001 (demais localidades - clientes do Banco do Brasil), 0800-729-0722 (capitais e demais localidades - clientes e não clientes do Banco do Brasil S.A) e 0800-729-0088 (deficientes auditivos), para agendar o crédito em conta corrente ou de poupança em seu nome, em qualquer banco.
A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, disponível na internet. Se o contribuinte não concordar com o valor da restituição, poderá receber o dinheiro disponível no banco e reclamar a diferença na unidade local da Receita. Fonte: Portal IG

Jorge Caetano Fermino

written by FTIGESP

Ir para página início  651 652 653 654 655 656 657 658 659 660  última