Fev 21

Mal começara a semana para gráficos paulistas e demais categorias no estado iniciarem os seus protestos contra políticos aliados de Temer e promoverem sua mobilização junto à classe trabalhadora contra o início do debate sobre a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, ora anunciada antes pelo governo federal. A fim de evitar o fim do direito à aposentadoria dos trabalhadores, se aprovarem a reforma, o Sindicato dos Gráficos (STIG) da Baixada Santista reuniu-se, ainda no sábado, ao movimento sindical da região e protestou em Santos, na frente da casa do vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB). Neste mesmo objetivo, nesta segunda-feira (19), considerado o Dia Nacional de Luta, o STIG Barueri/Osasco e o movimento sindical desta área fazia o corpo a corpo com a população em estações de trem da região, pedindo que todos pressionassem os seus deputados para reprovarem tal reforma. Depois dos trens, foram até as unidades do INSS existentes na região.

A Federação Paulista dos Gráficos (Ftigesp), entidade na qual ambos os STIGs são filiados, conclama que os outros STIGs no estado encampem esta luta - vital para protegerem o direito dos gráficos se aposentarem. "Os trabalhadores, por sua vez, também precisam engrossar a pressão aos deputados indecisos e sobretudo contra os políticos apoiadores da reforma previdenciária de Temer, como Mansur e outros no estado", fala Leonardo Del Roy, presidente da Ftigesp.

Em Santos, por exemplo, o movimento sindical fez o ato no sábado perto da casa do Beto Mansur. "Teve até marchinha de Carnaval, atores e pernas de pau para chamar a atenção pública sobre quem é este político que defende lei para findar a aposentadoria. O mesmo que aprovou o fim dos direitos trabalhistas, apesar de denunciado pela PGR por sonegação fiscal e condenado por trabalho escravo", diz Jorge Caetano, secretário-geral do STIG Santos.

Já na estação de trem em Barueri, o secretário-geral do STIG da região, Joaquim Oliveira e demais sindicalistas distribuíam aos usuários boletins sobre a necessidade de resistirem à reforma trabalhista. O ato ainda foi feito nas demais estações de diversas cidades desta região. A iniciativa, realizada anteontem, foi organizada na última semana pelo Comitê Contra Reforma da Previdência, formado pelo movimento sindical e os movimentos populares da área. "Acreditamos ter contribuído com o Dia Nacional de Luta, alertando a população sobre os malefícios da reforma, bem como sobre as propagandas enganosas do governo à respeito nos meios de comunicação", diz Oliveira, convocando o povo e reagir geral.

written by FTIGESP

Fev 20

Gráficos, vamos prestar mais atenção nas nossas escolhas, em quem estamos depositando nosso voto na urna na hora de eleger nossos representantes. E anular ou votar em branco também é um erro. Cada vez que você procede dessa forma, está favorecendo exatamente os que vão votar contra você, contra todos nós trabalhadores. Portanto a melhor coisa é buscarmos ser mais conscientes e fazer a coisa certa: votar em candidatos que têm compromisso com nossos anseios e reivindicações. Não vamos reeleger quem votou contra nossos direitos, contra nossa aposentadoria e contra o Brasil. Fica a dica: saia da frente da TV Globo, pare de assistir aos noticiários manipulados. Fique de olhos e ouvidos bem abertos e não permita que uma mídia viciada, manipuladora e enganadora de informações confunda e atrapalhe a sua escolha. Chega de sermos massa de manobra dessa gente que mente e manipula para continuar nos explorando. LEIA MAIS 

FONTE: STIG ABC 

written by FTIGESP

Fev 20

Embora o patrão não saiba, ele comete crime baseado no código penal, não somente contra a lei trabalhista, quando pressiona os gráficos a não se associarem, e/ou a não ajudarem financeiramente seu sindicato e/ou ainda para que o profissional se desfilie do seu referido órgão de classe. Na cidade de Caieiras, um suposto assédio dessa natureza criminal já está sendo investigado pelo Sindigráficos. A entidade começou a reunir provas e planeja entrar com ação no fórum judicial competente referente as queixas recebidas sobre o constrangimento do qual sofreram gráficos frente à cobrança do dono da gráfica Stella para que se desindicalizem, sendo rejeitado pelos próprios funcionários e repassado ao Sindicato. Este caso também deve ser levado ao Ministério Público Federal (MPF). Na empresa, 80% dos trabalhadores são sindicalizados. A aproximação ao sindicato cresceu depois da preocupação dos gráficos com o FGTS. LEIA MAIS

FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Fev 20

Manifestação contra a reforma da previdência social na porta do prédio onde mora o deputado federal Beto Mansur em Santos. LEIA MAIS

FONTE: STIG SANTOS 

written by FTIGESP

Fev 20

A Reforma Trabalhista, que já passou a valer em novembro de 2017, vem sendo uma ameaça constante contra os direitos dos 90 mil gráficos do estado de São Paulo e de todos os trabalhadores brasileiros. Nesse momento, o que os gráficos precisam entender é a importância da sindicalização! Somos uma importante ferramenta para os trabalhadores que não querem ficar nas mãos dos patrões, mas que buscam valorização, reconhecimento e a manutenção dos direitos conquistados e ganhos salariais reais. LEIA MAIS

FONTE: STIG SANTOS 

written by FTIGESP

Ir para página  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  última