Mar 21

O trabalhador demitido entre o dia primeiro é o dia trinta de setembro, terá direito a mais um mês de salario nominal a título de indenização. Ao fazer sua rescisão entre em contato com o sindicato para verificação de seus direitos. LEIA MAIS 


FONTE: STIG GUARULHOS 

written by FTIGESP

Mar 20

Trabalhadoras sindicalizadas da capital e da região de Barueri/Osasco participaram de palestra com Clemente Ganz, diretor técnico do Dieese, sobre riscos aos direitos delas se aposentarem com reforma de Bolsonaro. STIGs aproveitam e convidam todas as mulheres e homens gráficos para tomarem às ruas nos protestos desta sexta-feira, dia 22, contra a reforma da Previdência 

No mesmo fim de semana em que celebrou o Dia Mundial da Mulher, 190 mulheres gráficas associadas aos Sindicatos da classe na cidade de SP e na região de Barueri/Osasco se reuniram na Colônia de Férias do STIG-SP para se confraternizarem e debaterem sobre a reforma previdenciária. As trabalhadoras tiveram a oportunidade de conhecerem melhor sobre a proposta que muda muito as regras para concessão da aposentadoria e os valores do benefício. O palestrante convidado foi Clemente Ganz, que é diretor técnico do Dieese. O assunto abordado não somente chamou a atenção das ameaças aos direitos delas se aposentarem, como também provocou um intenso debate durante quase duas horas desta formação.

O STIG-SP e o STIG Barueri/Osasco têm tradição em número de sócias mulheres e na realização de grandes eventos para as mulheres da classe. Faz 20 anos, no mínimo, que ambas as entidades promovem este evento do Dia da Mulher na cidade litorânea de Praia Grande, ocasião em que promove palestras e atividades de interação com os sindicatos e de lazer.

"Este ano priorizamos o debate a cerca da reforma da Previdência, uma vez que toda mudança nas leis, a exemplo da recente reforma trabalhista, gera maiores prejuízos às mulheres, as quais já sofrem com dupla/triplas jornadas", diz Elisângela Oliveira, 1ª e atual mulher presidenta na história do STIG-SP, órgão que representa o maior número de gráficos no Brasil.

"A lei da reforma trabalhista do Temer está aí há pouco mais de um ano e já se mostra terrível para a classe trabalhadora, em especial contra as mulheres", endossou Joaquim Oliveira, presidente eleito do STIG Barueri, Osasco e região. O dirigente assumirá a entidade em maio e participou da palestra do especialista do Dieese sobre a reforma da Previdência. O STIG Sorocaba também participou do encontro.

Além do rico debate sobre o tema, que prendeu a atenção e preocupação das trabalhadoras, Clemente aproveitou para lembra-las da importância de ampliarem o quadro de mulheres sindicalizadas para fortalecerem seu sindicato de modo a enfrentarem os ataques aos direitos trabalhistas, bem como à aposentadoria, como está colocada pela reforma da Previdência. Ele orientou que cada uma lá presente convidasse uma ou mais colegas de trabalho para também se associarem. Afinal, o STIG é formado por homens e mulheres gráficas, a exemplo de Elisângela, que tem o objetivo de defender os direitos, salário, condições laborais e interesses da classe.

Leonardo Del Roy, presidente da Federação paulista dos trabalhadores gráficos (Ftigesp), entidade na qual os STIGs do estado são filiados, ver que um relevante passo foi dado pelos sindicatos no esclarecimento das trabalhadoras sobre os prejuízos da reforma da Previdência. Somente conscientes do que se trata e que podem seguir os STIGs na luta contra a aprovação dessa medida que vai acabar com as suas aposentadorias.

Del Roy aproveita ainda para que as mulheres também fiquem atentas as mudanças no mundo do trabalho com a lei da reforma trabalhista. Ela tem ampliado ainda mais as precariedades no ambiente de trabalho. Há inclusive uma cobrança e pressão maior por produtividade. Com isso, as horas de serviço repetitivo ampliará os casos de doenças relacionadas, a exemplo da LER/Dort. "Não hesite de denunciar a situação ao STIG. O emprego não é mais importante que a sua saúde. Afinal, caso se cale, a doença se agravará, tornando-se irreversível, sendo demitida da mesma forma e sem condições de conseguir um novo trabalho", alerta Del Roy.

written by FTIGESP

Mar 19

A Aposentadoria Especial exige menos tempo de serviço em razão da exposição habitual e permanente aos agentes nocivos à saúde ou à integridade física. LEIA MAIS 


FONTE: STIG SANTOS

written by FTIGESP

Mar 19

Em Cajamar, a gráfica D'arthy acaba de ser condenada judicialmente em mais de R$ 30 mil por ter retirado de 30 a 45 minutos do tempo da refeição e do descaso intrajornada de um dos seus profissionais de impressão. O processo foi levado para a Justiça do Trabalho pelo Sindicato da categoria (Sindigráficos). A ação defendeu o direito de um dos gráficos associados e afetados pela mudança unilateral do seu tempo de repouso/alimentar, sem que houvesse acordo coletivo junto ao sindicato e com a aprovação dos profissionais, como diz inclusive a atrasada lei da reforma trabalhista. LEIA MAIS


FONTE: STIG JUNDIAÍ

written by FTIGESP

Mar 19

Nesta segunda-feira (18), o STIG Guarulhos realizou uma reunião com o RH da Editora FTD. Na ocasião, foi abordado sobre banco de horas e o aditivo ao contrato de trabalho dos funcionários. LEIA MAIS 


FONTE: STIG GUARULHOS

written by FTIGESP

Ir para página início  5 6 7 8 9 10 11 12 13 14  última