Set 25

Uma suposta economia ilusória levou os gráficos do Bragança Jornal a desfiliarem-se e a não contribuírem financeiramente com o Sindicato da categoria (Sindigráficos). E, agora, depois de acreditarem na conversa fiada de que a empresa protegeria seus direitos, ficaram sabendo que a direção do jornal quer reduzir os seus salários a partir do início de 2019. Ao enfraquecerem a entidade de classe, pois nenhum deles fez questão de ajudarem na manutenção do sindicato, o jornal percebeu a fragilidade dos trabalhadores criada pelos mesmos. E, agora, agindo contra a lei, o patrão pressiona para que haja a redução salarial daqui a quatro meses. LEIA MAIS


FONTE:STIG JUNDIAÍ

written by FTIGESP

Set 24

#PAGACIVITA Ainda falta muito para pagar os R$ 110 milhões de todos. A pressão começa a dar resultados. Veja a carta aberta à família Civita

Nesta terça-feira (25), dias depois que centenas de gráficos, jornalistas, administrativos e distribuidores demitidos da editora Abril realizaram um protesto na empresa diante da falta dos deveres patronais, fazendo com que a empresa iniciasse o pagamento de pequena parte das dívidas, será realizada uma audiência pública para tratar do tema na Assembleia Legislativa do Estado de SP. A Federação Paulista da Classe (Ftigesp) convida todos 1,5 mil demitidos que ainda não receberam todas as suas verbas rescisórias. O evento, de iniciativa do deputado Carlos Gionnazi, começa às 19h. É relevante ainda que os prejudicados pela editora se atentem para não perderem o prazo da revisão sobre o cálculo de cada dívida que dever ser enviado para do administrador judicial da Abril até quinta-feira. Peguem o formulário elaborado pelos sindicatos e enviem todos os questionamentos para o e-mail ajcomunicacao©deloitte.com.

O Sindicato dos Gráficos de São Paulo está mantendo plantão na sede da entidade para orientar os trabalhadores da classe sobre o envio dos documentos para a Deloitte (empresa responsável pela recuperação judicial da Abril), indicando inclusive observações que, no geral, devem constar no documento, específico para quem foi demitido antes do dia 6 de agosto (AQUI) e após essa data (AQUI). O prazo acaba nesta quinta.

O tempo também está curto para que todos os demitidos enviem para os sindicatos envolvidos a procuração (BAIXA AQUI E PREENCHA) para que o setor jurídico deles possam representá-los na 1ª assembleia dos credores da recuperação judicial da Abril, que será realizada na próxima semana, no dia 2 de outubro. Contudo, as procurações devem ser enviadas até o final deste mês de setembro. Tais encaminhamentos foram definidos na reunião da comissão dos demitidos com a empresa responsável pela administração judicial. Veja AQUI todos as tratativas.

Embora a empresa começou a pagar uma pequena parte de suas dívidas trabalhistas, somente depois de muita pressão dos demitidos e sindicatos envolvidos, a Ftigesp chama a atenção de todos demitidos, que ainda não receberam tudo o que tem direito. "Devemos manter a vigília e a cobrança atuante", diz Leonardo Del Roy, presidente da Ftigesp. Até o momento, a empresa começou a pagar parte das verbas rescisórias dos 800 demitidos a partir do último dia 6 de agosto, mas não mais pagou aos 700 demitidos anteriormente a esta data e que têm muitas pendências nos pagamentos.

Após a forte manifestação embaixo de chuva há alguns dias na frente da empresa, com trânsito interrompido, a Abril decidiu pagar parte da dívida. Decidiu liberar o pagamento, antes negado, de até 70% de parte da verba rescisória dos 800 demitidos a partir de 6 de agosto que tinham direito até R$ 15 mil. Porém, como grande parte tem décadas de trabalho no local, o valor do débito é bem superior. Neste caso, independente do valor, a editora se comprometeu a pagar R$ 15 mil para cada, sem nada explicar como fará pra quitar o restante. Ademais, não especificou como será feito o pagamento da multa indenizatória no valor de 40% do FGTS de cada um dos 800 demitidos a partir de 6 agosto, tampouco quando ela retomará o pagamento das verbas rescisórias parcelados dos 700 demitidos antes.

A Ftigesp aproveita para reforçar a necessidade de que cada demitido envie a procuração para o sindicato representa-lo na assembleia de credores. A entidade solicita ainda que todos revisem os cálculos de débitos do trabalhador elaborada pela empresa responsável pela recuperação judicial da editora. Termina nesta quinta-feira. Caso os números não batam, os quais jamais baterão porque não consta, por exemplo, a multa no valor de um salário nominal pelo não pagamento da verba rescisória em 10 dias depois da demissão, conforme prevê a lei trabalhista, o demitido deverá acrescentar e enviar ao e-mail da Deloitte já informado. Parte dos gráficos ainda terão de inserir mais um salário nominal devido a demissão, após contar o aviso-prévio, no mês anterior a data-base da categoria. O prazo para fazer estas inclusões e demais correções acaba nesta quinta-feira. Pegue o formulário e enviar seus questionamentos. A luta continua. #PAGACIVITA

written by FTIGESP

Set 21

Gráficos de toda região participarão de confraternização neste domingo

Neste domingo (23), no Clube de Campo dos Químicos em Iporanga, os gráficos de Sorocaba e região participam da tradicional confraternização realizada pelo Sindicato da categoria (STIG). O evento é voltado para os sindicalizados e familiares. Dirigentes de STIGs de outras regiões foram convidados, como Álvaro Ferreira (Barueri), Leandro Rodrigues (Jundiaí) e o líder da Federão Paulista da classe (Ftigesp), Leonardo Del Roy. Na ocasião, João Ferreira, presidente do sindicato anfitrião, juntamente com os demais sindicalistas presentes, alertarão os gráficos sobre os direitos que estão em jogo durante as eleições gerais e na campanha salarial em curso. A eleição será realizada em 7 de outubro e a campanha precisa ser concluída até o fim de outubro para garantir todos direitos.

"Desde que assumimos o Sindicato, fizemos uma grande reestruturação da entidade, inclusive no modelo de festas voltadas para a classe, onde passaram a dar oportunidade para troca de ideias entre os participantes, sindicalistas e os familiares com assuntos de interesses diversos em um dia agradável", diz João Ferreira. Neste sentido, a eleição e a campanha salarial em pleno processo, serão tratados durante a confraternização. O cenário das negociações, desafios e a participação dos gráficos tanto na campanha salarial, quando na eleição, estarão na pauta da atividade.

"Estamos em um momento muito importante para a manutenção ou perda de nossos direitos. Eles estão em jogo. Tudo dependerá do resultado das eleições gerais e da campanha salarial unificada dos gráficos no estado. Em ambas situações, dependeremos da participação dos gráficos neste jogo. Se entrar em campo e jogar com garra, o resultado será positivo. Do contrário, ruim", diz Álvaro Ferreira, presidente do STIG Barueri/Osasco. O trabalhador precisa inclusive vestir a camisa do seu time, que não pode ser do patrão, mas do sindicato que lutará pela manutenção dos direitos. Portanto, pontua Del Roy, é preciso fortalecer o STIG através sobretudo da sindicalização, mas também do custeio sindical e da participação ativa.

Álvaro lembra inclusive dos efeitos negativos da lei da reforma trabalhista do Temer onde deu maior poder ao time patronal neste jogo da campanha salarial. Com a nova lei, diferente da última campanha, os trabalhadores precisam ficar mais unificados em torno do STIG, para evitarem a perda do jogo, ou seja, a perda dos seus históricos direitos, como a PLR e cesta básica, além do piso salarial, bem como a data-base em1º de novembro. Corre o risco inclusive de perderem todos os 87 direitos convencionados.

O presidente do STIG Jundiaí, Leandro, destaca também o risco da perda do jogo pelos gráficos se eles não estiverem preparados para as eleições de 7 de outubro. Se apostarem em candidatos a deputados, senadores, governadores e presidentes errados, o time dos patrões que vencerá. Se ocorrer, os prejuízos serão maiores que a reforma trabalhista com reflexo direto na perda de direitos e na elevação do desemprego e subemprego. Se votar errado, a aposentadoria vai acabar com a reforma previdenciária e jamais serão revogadas as ações do governo do Temer contra o povo.

written by FTIGESP

Set 20
FONTE: STIG ABC

written by FTIGESP

Set 20

Para participar é preciso informar os dados das crianças até o dia 28 de setembro. A festa acontece no sábado, 13 de outubro. LEIA MAIS


FONTE: STIG GUARULHOS 

written by FTIGESP

Ir para página início  3 4 5 6 7 8 9 10 11 12  última