Fev 01

A postura de Cristiane Brasil, nomeada por Temer para Ministra do Trabalho, mas impedida pela Justiça, mostra bem a arrogância e o completo desprezo da elite para com os Trabalhadores. A chegada de Temer à presidência da República trouxe de volta ao poder gente da pior espécia, gente que despreza pobres e Trabalhadores.

FONTE: STIG GUARULHOS 

written by FTIGESP

Fev 01

Na segunda-feira (29/01), apesar de tentar irregularmente se livrar dos direitos dos gráficos, cobrados pelo Sindicato da classe (Sindigráficos), a Brasprint, empresa em Cajamar, teve que enfrentar a Justiça do Trabalho. Nos últimos anos, ela acumula falhas, como fazia a gráfica Artpress, que agora pena diante da devassa judicial devido a sonegação que praticava contra o FGTS e vários direitos convencionados dos seus empregados. A audiência foi realizada na Vara do Trabalho de Cajamar. Foi pedido ao juiz que a Braspint pague todo FGTS negado aos funcionários desde 2000. A lista de cobrança não para por aí. A empresa deve R$ 2.818 para cada gráfico só com o dinheiro da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) que não pagou. A convenção coletiva de trabalho dos gráficos, que é o conjunto de direitos garantidos por lei, estabelece inclusive multa para a empresa que descumpre as suas cláusulas, como fez a Brasprint. É por isso que a gráfica ainda está sendo cobrada na ação judicial a pagar R$ 1.197 para cada trabalhador. O valor da multa é sempre calculado pelo somatório dos direitos descumpridos. LEIA MAIS 

FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Jan 31

A FTIGESP e todos os STIGs adiantam que farão ampla campanha nas eleições 2018 contra o deputado e senador que apoiarem a reforma da Previdência. Sindicalistas gráficos já até protestaram em frente a agências do INSS, como Joaquim Oliveira (STIG Barueri) e Jurandir Franco (STIG Jundiaí)

Na última quarta-feira (24/01), quando se comemorou no Brasil o Dia do Aposentado, Temer ao invés de anunciar políticas públicas em beneficio a esta parcela significativa de brasileiros, decidiu atacá-la. Ele frisou seu plano contra tal direito previdenciário ao confirmar que fará de tudo para votar a reforma previdenciária nos próximos dias. O governo quer votá-la dia 18 na Câmara Federal, mesmo sem discutir com a sociedade, ou tampouco para cortar os privilégios de segmentos sociais endinheirados, como alerta a Federação Paulista dos Trabalhadores Gráficos (Ftigesp).

A entidade alerta que Temer insiste em atropelar até o resultado da CPI-Senado - esta que mostrou não ter déficit na Previdência, evidenciando que não se justifica reformar. "Será um ataque através de novas regras injustas contra a classe trabalhadora para inviabilizar sua aposentadoria, mesmo esta população sendo a maioria, ganhando os menores salários e estando mais suscetíveis ao desemprego e à flexibilização de direitos, sem falar da sonegação patronal ao INSS, com a apropriação indébita do salário do funcionário para tal fim", diz Leonardo Del Roy, presidente da Ftigesp. O dirigente conta que o objetivo é privatizar a aposentadoria.

"De que privilégio Temer diz que cortará com a reforma se ele já decidiu manter os altos valores das aposentadoria dos militares, que, em média, ganha 16 vezes superior ao segurado normal. Sem falar da extensão do benefício previdenciário para os filhos do militar", ironiza Jorge Caetano, vice-presidente da Ftigesp. Ainda assim, critica o dirigente, uma parte da sociedade, até "inocentes" trabalhadores, defende a volta do militarismo.

Por outro lado, Caetano lembra que Temer faz terrorismo com os pobres trabalhadores aposentados, com propaganda enganosa na TV, dizendo que estes poderão ficar sem o pagamento do benefício se não aprovar a reforma da Previdência, mesmo havendo a CPI que prova não ter déficit. Ademais, o governo ainda arrocha o salário mínimo, que é a referência do pagamento da maioria da classe trabalhadora e dos aposentados no Brasil. Afinal, 85% dos aposentados recebem apenas o salário mínimo.

"Não resta dúvida qual o interesse deste governo golpista com a reforma da Previdência. É retirar do trabalhador sua aposentadoria pública para trocá-la pela Previdência Privada, ao menos aos que puderem pagar, atendendo o interesse do grande capital financeiro, que são os bancos", critica Leandro Rodrigues, secretário-geral da Ftigesp. A entidade e os sindicatos dos gráficos no estado adiantam que farão ampla campanha nas eleições 2018 contra qualquer congressista que apoiar esta reforma.

written by FTIGESP

Jan 30

Depois de 27 anos, a história se repete e os trabalhadores gráficos não terão reposição da inflação nos salários. Em 1990 estávamos sob o governo do chamado "caçador de Marajás" Collor de Mello e desta vez estamos sob os mandos e desmandos do governo Temer, golpista e entreguista dos nossos direitos e das riquezas naturais deste País. Há 27 anos assistíamos o sequestro da nossa poupança. Hoje, o sequestro é dos direitos dos trabalhadores, via Reforma Trabalhista, sequestro dos direitos à saúde, educação e acesso à moradia, via a lei que congela os investimentos sociais por 20 anos; e sequestro do emprego, hoje já são mais de 14 milhões de trabalhadores desempregados. LEIA MAIS 

FONTE: STIG ABC

written by FTIGESP

Jan 30

A História nos ensina: Todos os presidentes do Brasil que deram mais voz e vez às classes populares foram punidos, por este pecado, sob o falso argumento de corrupção, levantado pelas elites privilegiadas para turvar a vista do povo. Jamais elas diriam que os estavam punindo por defenderem interesses da maioria.
Foi Getúlio Vargas, pioneiro das leis trabalhistas, acusado de comandar um "mar de lama", que preferiu o suicídio a ser deposto. Foi João Goulart, seguidor de Getúlio, acusado de corrupto e comunista, deposto e exilado pela ditadura militar, morto no exílio. Foi Juscelino Kubitschek, respeitador das leis trabalhistas, cassado e acusado de corrupção pela mesma ditadura. Foi Dilma, continuadora de Lula, cassada sob a acusação de não seguir a lei orçamentária. Agora é Lula, acusado de corrupto, depois de fazer um governo que tirou dezenas de milhões da pobreza, condenado por quatro juízes e alguns promotores das elites, cujo passado ninguém do povo conhece, e pela Globo, empresa integrante do grande capital que a enriquece e sustenta. A história absolveu Getúlio, Jango, Juscelino. Absolverá Lula e Dilma, porque os fundamentos de sua punição e os interesses defendidos pelos punidores são os mesmos. O passado há de ensinar aos que não submetem sua mente aos senhores do presente. 

FONTE: STIG GUARULHOS 

written by FTIGESP

Ir para página início  3 4 5 6 7 8 9 10 11 12  última