Jun 25

"O relatório do deputado Samuel Moreira traz algumas vitórias dos trabalhadores, com a retirada do regime de capitalização e da desconstitucionalização das regras, além da contenção nas maldades mais objetivas contra os trabalhadores rurais e os mais necessitados. Porém, em cálculos e exigências não ocorreram grandes avanços, merecendo maiores estudos", diz Sergio Pardal Freudenthal, advogado do STIG Santos. LEIA MAIS

FONTE: STIG SANTOS

written by FTIGESP

Jun 25

Desde 2016, muitos gráficos do Jornal de Jundiaí (JJ) têm contado com a força jurídica do Sindicato da classe (Sindigráficos) para evitarem prejuízo maior de seus direitos. A empresa, que continua com a prática sistemática de atraso salarial, do FGTS, por exemplo, tem sido acionada judicialmente de forma periódica. No período, onze acordos judiciais já foram feitos para que nada ficasse sem o pagamento. Já têm outros dois novos processos. No entanto, no último mês, as parcelas de cinco dos acordos pendentes deixarem de ser pagas. Mas o JJ acaba de normalizar depois da cobrança sindical ao alertá-lo que a inadimplência chegaria ao Poder Judiciário para as duras medidas cabíveis, como aplicação de multas e penhora de bens. LEIA MAIS

FONTE: STIG JUNDIAÍ

written by FTIGESP

Jun 25

written by FTIGESP

Jun 25

Sem nenhuma compensação ao menos financeira, o governo Bolsonaro acaba de assinar um Decreto autorizando 78 setores a trabalharem aos domingos e feriados. Com isso o tradicional descanso semanal aos domingos e feriados está ameaçado para milhões de Trabalhadores. LEIA MAIS


FONTE: STIG GUARULHOS

written by FTIGESP

Jun 24

Categoria vai às urnas em defesa da unidade da classe e continuidade da luta para não sucumbir diante do desejo e poder do governo e do capital

Na próxima semana, nos dias 3 e 4, os gráficos da região do ABC paulista definirão a nova direção do Sindicato da categoria (STIG). Urnas fixas e móveis do sindicato passarão pelas empresas onde existem empregados sindicalizados. Mesmo tendo uma única chapa inscrita, encabeçada por Francisco Campelo, a entidade defende que todos associados participem do processo. A participação de todos é indispensável porque cada voto representa a bandeira em favor da existência de um STIG fortalecido para enfrentar os grandes e intensos desafios contra os direitos trabalhistas e previdenciários e contra os cortes nas políticas públicas em geral no país.

Francisco é o atual secretário-geral do STIG. Se eleitor junto aos demais gráficos que integram a chapa União e Continuidade na Luta, tornar-se-á o novo presidente do tradicional sindicato do ABC paulista, região berço do movimento sindical combativo do País. Ele sucederá o atual presidente Isaías Karrara. "Precisamos dar todo o apoio a Francisco e aos demais diretores do nosso Sindicato para fazer valer nossos direitos e conquistas, sob pena de sermos todos sucumbidos por este governo (Bolsonaro) e pelo capital (poder econômico e empresarial) que têm sede de explorar e escravizar para aumentar os seus lucros", destaca Karrara

Para todos integrantes da chapa União e Continuidade na Luta, grandes desafios serão enfrentados após o processo eleitoral e posso da diretoria à frente do STIG. Dente eles, a luta para tentar brecar a retirada do direito à aposentadoria dos trabalhadores com a reforma da Previdência. Mas também um intenso combate para a manutenção dos direitos trabalhistas e conquistas históricas da classe. E ainda a luta pela garantia das políticas públicas em Educação, Saúde e todos outras, bem como a defesa pela volta do emprego e renda através do desenvolvimento socioeconômico.

Além de Francisco (da gráfica EFD) e Karrara, a chapa ainda conta com Vladimir Fernandes (Gráfica Sta Maria), Marcos Passos (Gráfica Macron), Gilmar de Deus (Valid), Guilherme Cruz (Bemis), João Costa (Nipel), Luiz Campos (Ycar/Lusoart), Edson Gomes (Geográfica), Anderson Batista (gráfica Macron) e com José Farias da Silva (gráfica Thomas Greg Sons).

written by FTIGESP

Ir para página 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  última